19 de novembro de 2010

Motivação Empresarial e Profissional - Nº5 (Novembro 2010)

APENAS UM PENSAMENTO


Mark Twain certa vez disse:
"Você precisa, de vez em quando, soltar a sua mente e tirá-la para dançar. Ela está a ficar fossilizada". 

Essa foi a sua maneira de dizer:
"Tente alguma coisa nova, abra novos caminhos, saia do fosso em que se meteu".

Esse conselho é válido para todos nós. Às vezes, precisamos de algo que nos "sacuda" e nos faça saír de uma rotina estéril - um pensamento novo, uma perspectiva diferente sobre um assunto conhecido, ou um pouquinho de sabedoria da vida de alguém que "já passou por essa estrada" antes de nós. 

Algumas citações que se seguem foram selecionadas para vos inspirar a ver a vida de uma perspectiva diferente. Muitas contêm pequenas críticas ou provocações destinadas a chamar a vossa atenção. Algumas farão rir, ao passo que outras farão pensar. Mas o meu desejo é que elas vos capacitem a fazer do vosso mundo amanhã, melhor que o de hoje. 

São apenas pensamentos... mas poderão mudar a vossa vida!
  • Toda a pessoa que chegou a ser um sucesso, simplesmente formou o hábito de fazer as coisas que os fracassados jamais gostaram de fazer e jamais farão (John Maxwell).
  • Nunca abandone um sonho até estar pronto para acordar e torná-lo realidade. 
  • Para ficar no mesmo lugar, você tem que correr o mais que puder. Mas, se quiser chegar a algum lugar, precisa correr duas vezes mais depressa (A Rainha de Copas em Alice no País das Maravilhas).
  • A prática não leva à perfeição; apenas à permanência (John Maxwell).
  • Gana, é o que separa os grandes dos meramente bons (Michael Jordan).
  • Não é a montanha que conquistamos, mas a nós mesmos (Sir Edmund Hillary - O primeiro a escalar o Monte Everest).
  • Uma definição de insanidade é crer que podemos continuar a fazer o que vínhamos fazendo e obtermos resultados diferentes.
  • Planear com antecedência vale a pena. Não estava a chover quando Noé construiu a arca.
  • Não uso apenas o cérebro que Deus me deu, mas todos os cérebros que eu conseguir emprestados (Woodrow Wilson).
  • Você precisa levantar-se a cada manhã com determinação, se quiser deitar-se com satisfação (George Horace Lorimer).
  • Ideias não duram. É preciso fazer alguma coisa com elas (Alfred North Whitehead).
  • A melhor cura para uma mente preguiçosa é perturbar a sua rotina (William H. Danforth).
  • Quem é bom em arranjar desculpas raramente é bom em qualquer outra coisa (Benjamim Franklin).
  • Quando não se quer fazer algo, qualquer desculpa vale.
  • Noventa e nove por cento dos fracassos vêm de pessoas que têm o hábito de dar desculpas (George Washington Carver).

10 de novembro de 2010

Sonhadores Arco-Íris

T.E. Lawrence disse uma vez que, “Todos os homens sonham mas não da mesma maneira. Aqueles que sonham à noite nos recantos poeirentos das suas mentes, acordam de manhã descobrindo que eram vãos. Mas os sonhadores do dia, são homens perigosos, porque criam os seus sonhos com os olhos abertos para os tornar realidade...”


Uma coisa é ter um sonho escondido no seu coração e outra totalmente diferente é deixar que esse sonho faça parte de tudo o que pensa e faz. Muitos de nós não “vestimos” os nossos sonhos, apenas sonhamos. Quando há um sonho a queimar no seu coração e você começa a agir segundo ele, isso criará oportunidades para si que nunca imaginou serem possíveis. O seu sonho levá-lo-á para fora das zonas de conforto, torná-lo-á numa pessoa apaixonada por ele e a fazer algo. Jonathan Winter disse: “Eu não pude esperar pelo sucesso, por isso avancei sem ele.”

Um Jovem Com Um Sonho

   José era um jovem com um sonho. O dia em que José colocou sobre os seus ombros a túnica de várias cores, que seu pai fizera para ele, foi o dia em que ele começou a “vestir” o seu sonho. Onde foi que Jacó, o pai de José, teve a ideia de uma túnica de várias cores? A inspiração das muitas cores da túnica deve ter vindo do arco-íris. Quando Deus deu a Noé o arco-íris depois do dilúvio, foi uma promessa após o julgamento. Significou um sonho a manter, um sinal da Sua promessa.

   Mais tarde, Deus deu a Abraão a mesma promessa, dizendo-lhe que tantas quantas as estrelas nos céus, Deus abençoaria e multiplicaria a sua descendência. Algumas gerações à frente, Deus disse que amou Jacó mas odiou Esaú, porque Esaú não adquirira paixão pelas coisas do Senhor. Jacó manifestava alguma ausência de carácter, mas amava a Deus e estava apaixonado e entusiasmado com as Suas coisas, e assim, as bênçãos de Deus caíram sobre ele. Quando chegou a vez de José, a menina dos olhos de Jacó, foi como se este se tivesse lembrado da promessa de Deus a Noé, e ele começou a sonhar. Como resultado colocou esse sonho no filho do seu amor. José apoderou-se do sonho e começou a “vesti-lo”.


   No seu entusiasmo juvenil, José contou o seu sonho a todas as pessoas, o que resultou no facto de que os seus irmãos o quiseram matar, acabando finalmente por o vender como escravo. Eles despiram-no da sua túnica multicolor, esperando arrancar o sonho do seu coração. Esqueceram-se daquilo que Deus disse acerca de sonhos e visões, e não captaram o significado do poder redentor do sangue do cordeiro com que molharam a túnica (Génesis 37:23-31). O sonho de José fazia parte dele de tal maneira, que os seus irmãos não podiam chegar perto desse sonho.


   Deus permitiu que José passasse por testes e incompreensões. Se José tivesse permitido que a amaragura criasse raízes no seu coração, teria ficado um prisioneiro toda a sua vida. Quando a mulher de Potifar tentou seduzir José, ele foge e pela segunda vez a túnica é-lhe retirada. Depois de acusado falsamente, Potifar o lançou na prisão (Génesis 39:6-20). O que teria você feito se fosse José? Teria desistido? José manteve o seu sonho, crendo que o seu tempo estava a chegar.


   Um sonho levou José á prisão e um sonho tirou-o de lá. Um sonho criou oportunidades a José que nada nem ninguém poderia ter criado. Foi enganado, traído, mentiram sobre ele, mas ainda assim manteve a sua integridade. Todas as pessoas provavelmente sabiam acerca dos sonhos de José, assim quando o copeiro e o padeiro do rei do Egipto, presos junto a José por terem ofendido o rei, sonharam sonhos inexplicáveis, todos lhes devem ter falado do sonhador – José – e das suas interpretações. Ao ouvir os sonhos deles, as interpretações de José foram verdadeiras pois os sonhos aconteceram e José pediu ao copeiro-mor para que se lembrasse dele quando trabalhasse de novo no palácio do rei. Contudo, o copeiro-mor esqueceu-se de José (Génesis 40:1-23). José continuou trancado na prisão mas na quietude do seu coração, falou a Deus, confiante que apesar de tudo o que estava a passar, Deus ainda faria o seu sonho acontecer.


   Se pode “vestir” o seu sonho no seu coração como se fosse já seu, você o terá. José “vestiu” o seu sonho durante anos.


   Um dia Faraó teve um sonho acerca de sete vacas gordas e de sete vacas magras. Mandou chamar todos os seus sábios e adivinhadores para interpretarem o sonho, mas nenhum deles o conseguiu. Nesta altura, o copeiro-mor lembrou-se de José. A Bíblia diz-nos que quando o mensageiro de Faraó veio até José para o levar até à presença de Faraó, José fê-lo esperar enquanto se barbeou e mudou de roupa. Isto é uma coisa tão arbitrária para ser mencionada na Bíblia, que ao ser mencionada, é porque parece que Deus está a tentar mostrar-nos algo. José era um homem de excelência. Embora na prisão, nunca desistiu do seu sonho ou da sua excelência. Ele interpretou o sonho e de um dia para o outro vai de prisioneiro a Primeiro-Ministro do Egipto (Génesis 41:1-46). A confiança de José não estava no copeiro-mor nem em Faraó, ele confiava em Deus para o cumprimento dos seus sonhos.

Bater à Porta Da Minha Alma Para Algo Maior

   Não importa se é rico ou pobre, não importa em que lugar nasceu ou se está a passar por tremendas provas, num dia Deus pode tornar o seu sonho realidade. Algumas vezes Deus tem de permitir que passemos por algumas provas, para nos dar a profundidade de carácter que é necessário para realizarmos o trabalho e um espírito perdoador para que quando os nossos sonhos acontecem, tenhamos a maturidade de os “vestir”. Muitos de nós não “vestimos” os nossos sonhos, simplesmente sonhamos. Temos de trabalhar para isso. Você tem sido criado com um propósito e um destino. Alguns podem odiá-lo, outros poderão querer retirar o sonho do seu coração, mas se o agarrar de forma firme, ele tornar-se-á uma realidade. Precisamos de sonhar grande em relação à nossa nação. O escritor Philip Brookes disse uma vez que “é um mau dia para qualquer homem quando este está contente com a sua vida, não batendo à porta da sua alma para algo maior”.

Sonhadores de Arco-Íris Numa Nação Multicolor

   O espírito pioneiro e de aventura que caracterizaram os nossos antepassados levando-os a partir à descoberta de novas terras, deram a Portugal uma profundidade e riqueza devido à multiplicidade de culturas, que não pode ser testemunhada em muitas outras nações do mundo. Segundo a história mais recente, o derrubar da ditadura a que a nação esteve sujeita durante quatro décadas, a entrada para a Comunidade Europeia, a abertura das fronteiras e a livre circulação de pessoas e bens, ampliaram a nossa visão de nação multicolor. No entanto, este sentido de esperança e excitação que temos em relação a esta “nova nação” está nublada com grandes preocupações. O crime, a corrupção, o abuso sexual de menores, a Sida, a dívida externa, o elevado custo de vida, o desemprego, a pobreza e alguns outros flagelos, têm tido o seu lugar de forma assustadora. Há muito medo nos corações dos portugueses, que ao habituarem-se a viver com ele não compreendem os efeitos devastadores que causam nas suas vidas.


   A boa notícia é que há um escape para o medo. Há uma forma para que você e eu possamos enfrentar os nossos problemas e vencer. A resposta começa com Deus e termina com Deus. O Deus de toda a esperança quer ajudar-nos mas não o pode fazer a menos que estejamos dispostos a fazê-lo à Sua maneira.


   Deus quer que sejamos pessoas de fé. Tudo o que Deus irá fazer por si, Ele o fará através da fé. Muitas pessoas sentem-se sem esperança, fracas na sua fé, cansadas de orar e cansadas de esperar por respostas. Se isto tem a ver consigo, é tempo de se levantar dentro da sua alma e dizer: “Deus eu quero vencer. Não mais verei somente medo, falhas e permitirei a falta de esperança no meu espírito, mas vou olhar para o céu, vou olhar para o Deus de toda a esperança.”


   A nossa carne gosta de estradas secundárias, gosta de ser negativa e crítica, mas é o Espírito de Deus que vive em si que o faz erguer-se e dizer: “Eu terei esperança, eu terei fé”. A Bíblia diz que Deus lhe deu uma medida de fé – tome a decisão de a usar. Em Hebreus 11:6 diz que “sem fé é impossível agradar a Deus”. Temos de permitir que Deus nos avive de novo. Temos de nos agarrar às coisas de Deus e aos nossos sonhos.

Esperança – A Âncora da Alma

   A esperança é a âncora da alma. A sua esperança é o seu sonho. Deus criou-o para coisas maiores. Você foi criado para ser mais do que vencedor. Sempre que viajo, desejo sempre voltar a Lisboa, não por causa das suas sete colinas, do correr manso do rio Tejo, da beleza dos seus históricos edifícios, mas porque Deus colocou no meu espírito um sonho para a igreja que pastoreio, para a nossa cidade e para a nossa nação. Precisamos de ficar de pé e dizer que esta nação não vai de mal a pior, que ela não se vai afundar, porque nós estamos nela. Desde que tenhamos um sonho e uma visão de um futuro maior e melhor para nós e para a nossa nação, pela graça de Deus venceremos.


   A figura mental que tem do seu futuro será o seu futuro. O interior é sempre causador do exterior. O que vê quando olha para o seu espírito ou quando olha para a sua família ou trabalho, é o seu futuro. Ao longo do Seu ministério, Jesus desafiou as pessoas a pensarem o impossível, a confiarem para o impossível – fossem elas necessidades físicas, emocionais ou financeiras – Jesus disse que com Deus há sempre esperança e uma saída.


   Deus disse a Abraão para olhar para as estrelas do céu e ver se as podia contar. Se ele pudesse crer – ver no coração – assim seria a sua descendência. Ainda assim, muitos de nós estão acostumados a viver com o negativismo, desânimo e desapontamento. Se sai da cama com uma figura negativa e vai para a cama com uma figura negativa, e se tudo o que pode ver é falha e falta de esperança, é exactamente isso que terá. Mas se crermos no nosso sonho e o vivermos, Deus fará com que aconteça.


   Com Deus podemos vencer mas a menos que consigamos ver primeiro através da fé, a menos que sonhemos grande e pensemos possibilidades, não conseguiremos. O que é que espera que aconteça na sua vida, na vida da sua família, no seu negócio ou na sua cidade? A Bíblia diz em Hebreus 11 que “a fé é a substância das coisas que se esperam e a prova das coisas que não se vêem”. A sua espernça é o seu sonho, a sua esperança é a sua visão, a sua esperança é a figura que tem do seu futuro preferível.


   Juntemo-nos aos homens e mulheres que têm através da história ousado sonhar grande. Mudaremos a história da humanidade por causa dos sonhos que nos são dados por Deus. Vistamos a nossa túnica de sonho multicolor e tornemo-nos em sonhadores arco-íris.

A Experiência da Salvação


Existem Três Razões Básicas 
Para Acreditar Que a Bíblia É a Infalível e Pura Palavra de Deus
  1. Nenhum ser humano teria escrito um padrão tão elevadoPense na melhor e mais capacitada pessoa que conhece. Tem de admitir que ela teria deixado de fora algumas escrituras, caso fosse ela a ter escrito a Bíblia. Sendo assim, a Bíblia projecta um padrão não humano e um estilo de vida. Teve que ser Deus porque nenhum homem que conheça poderia alguma vez escrever um padrão assim tão elevado.
  2. Existe uma aura, um clima, um carisma, uma presença que a Bíblia gera que mais nenhum outro livro no mundo o faz. Pouse uma enciclopédia na sua mesa num restaurante – ninguém vai olhar para si duas vezes. Mas quando pousa a sua Bíblia na mesa, irão ficar fixados em si, vê-lo a mastigar a sua comida, e até, quase que irão ver a  matrícula do seu carro, quando entrar nele! Porquê? Porque a Bíblia cria a presença de Deus e força uma reacção nos corações dos homens.
  3. A natureza do homem é mudada quando ele lê a Bíblia. Os homens mudam. A Paz entra nos seus espíritos. A alegria surge nas suas vidas. Os homens gostam daquilo em que se tornam quando lêem este livro. Os homens aceitam Cristo, porque a Bíblia diz que Jesus Cristo é o Filho de Deus e que é a solução para todo o homem pecador, cujo salário do pecado, traz a morte (morte espiritual, que significa separação de Deus); o único perdão que poderão encontrar é através de Jesus, o Filho de Deus.

 Três Razões Básicas 
Para Aceitar Cristo


  1. Precisa de perdão. Em determinada altura na sua vida, irá desejar estar limpo. Irá odiar a culpa; irá desejar a pureza. Tem um desejo que cresce na direcção de Deus, e terá que satisfazer esse anseio em alguma altura da ua vida.
  2. Precisa dum amigo. Pode estar aí sentado a dizer: “Mas, não tenho eu amigos?” Sim, mas nunca teve um como Jesus. Ninguém pode lidar com a informação sobre a sua vida tão bem como Ele. Ele é a relação mais consistente que alguma vez conhecerá. Os amigos humanos vacilam nas suas reacções, dependendo do seu ou do humor deles. Jesus Cristo nunca muda a opinião que tem de si. Ninguém Lhe pode dizer nada que o faça mudar de ideias sobre si. Não pode desfrutar do Seu mundo sem a Sua companhia.
  3. Precisa de ter um futuro. Todos os homens têm uma necessidade interior de imortalidade, um desejo pela eternidade. Deus colocou esse desejo dentro de nós. A certa altura, D. L. Moody fez esta declaração: “Algum dia destes irá ouvir que morri. Quando o ouvir, não acredite nem em uma só palavra disso. Estarei mais vivo nessa altura do que em qualquer outra da minha vida.” Cada um de nós se pergunta sobre a eternidade. Como é que é a morte? O que acontece quando morrer? Será que existe o inferno? O céu? Deus? O diabo? O que acontece? Todos os homens querem estar cá amanhã. A única maneira de te assegurares é teres dentro de ti aquele que é eterno. Ele é Jesus Cristo, o Filho de Deus.
        Evangelho significa Boas-Novas: Você pode mudar; seus pecados podem ser perdoados; a sua culpa pode ser dissolvida; Deus ama-o. Ele quer ser a diferença na sua vida. "Todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus" (Romanos 3:23). "O salário do pecado é a morte" (Romanos 6:23). Pode perguntar: que significa isto? Significa que todo o pecado não confessado será julgado e penalizado, mas isso não é o fim da história. A segunda parte de Romanos 6:23 diz: "mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus, nosso Senhor". O que significa isto? Significa que entre a ira e o julgamento de Deus sobre o seu pecado, Jesus Cristo, o Filho de Deus, se interpõe e absorve o seu julgamento e a sua punição, por si. Deus diz que se O reconhecer e respeitar a Ele e ao Seu valor como Filho de Deus, o julgamento será travado e irá receber um indulto, o perdão de todos os seus erros.

          O que é que tem a fazer? “Se acreditares no teu coração que Jesus é o Filho de Deus e que Deus o ressuscitou dos mortos ao terceiro dia, e confessares com a tua boca, então serás salvo.” (Romanos 10:9-10). Que significa a palavra “salvo”? Retirado do perigo. Significa simplesmente que se respeitar e reconhecer o valor de Jesus Cristo, Deus irá retirá-lo da zona de perigo e recebê-lo como filho do Deus altíssimo. Que dádiva Ele lhe dá para receber? O Seu Filho. “Porque Deus amou o mundo de tal forma que deu o Seu único Filho, para que todo aquele que acredita nele não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3:16). Como é que aceita o Seu Filho? Aceitando a Sua misericórdia. Como é que rejeita os seus pecados? Confessando-os e afastando-se deles. “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça” (João 1:9). Isto é o Evangelho.

8 de novembro de 2010

Liderança Hoje - Nº 4 (Novembro 2010)

SECÇÃO 1
COMPETÊNCIA
FAZENDO MENOS, ALCANÇANDO MAIS

ENCONTRAR O SEU RITMO
Devotar um pouco de si mesmo a tudo, significa comprometer muito de si a nada.

Não há necessariamente uma correlação entre o quanto está ocupado e o quão produtivo é. Estar ocupado não é o mesmo que ser produtivo.

Provavelmente você está tão ocupado como sempre esteve. Mas isso significa que está a ser tão produtivo quanto é possível? Claro que não. Horários preenchidos raramente significam máximo da produtividade. De facto, eu poderia argumentar que o oposto é verdade. As pessoas mais produtivas que conheço parecem ter mais, não menos, tempo livre do que a média das pessoas. Elas controlam os seus horários em vez de permitir que os seus horários as controlem.

A observação e a análise confirmam que 20% dos nossos esforços resultam em 80% da nossa eficácia. Richard Koch, no seu trabalho inovador "O Princípio 80/20", documenta a importância desta relação:

"O Princípio 80/20" afirma que a minoria das causas, entradas ou esforços levam a uma maioria de resultados, saídas e recompensas. Literalmente, isto significa que, por exemplo, 80% daquilo que alcança no seu trabalho vem de 20% do tempo que gastou. Então para todos os propósitos práticos, quatro quintos dos esforços – uma parte dominante – é largamente irrelevante.

Se Richard Koch está certo, é imperativo descobrir quais os 20% daquilo que fazemos que gera os 80% da nossa produtividade. Tendo descoberto isto, devemos investir mais do nosso tempo e energia nessas actividades. Aí reside a chave para o máximo impacto como líder.

Há alguns anos atrás eu concluí que 80% da minha produtividade profissional vinha de três actividades:
  • Motivação corporativa
  • Comunicação corporativa
  • Desenvolvimento da liderança
Estas são as três coisas que me fazem mais valioso para a igreja que pastoreio e federação de igrejas e organizações que lidero. A minha competência nestas três áreas define o meu "sucesso" como pastor. Como pastor principal estas são as únicas três coisas que praticamente só eu posso fazer.
Com isto em mente, comecei a reorganizar e mudar as prioridades do meu horário à volta destas três coisas. Quase que dupliquei o tempo que me sento a preparar e avaliar uma pregação. Dediquei muito mais tempo ao desenvolvimento da equipa de equipa de liderança actual, bem como a treinar futuros líderes. Aumentei a percentagem do tempo da plataforma da manhã de domingo dedicada à motivação. Mais de 80% do meu tempo está agora focado apenas nestas três coisas que só eu posso fazer.

No meu tipo de trabalho, a maioria do meu sucesso depende de uma apresentação semanal de sessenta minutos referido na maioria dos casos como pregação. Não importa quantas horas trabalhei. Na maior parte das vezes, o meu sucesso depende da capacidade que tive ou não de entregar as boas novas no domingo de manhã. Uma semana de trabalho de 60 horas não compensa uma pregação pobre. As pessoas não aparecem ao domingo só porque sou um bom pastor (líder, pastor, conselheiro) ou bom homem. Ironicamente, as minhas capacidades pastorais não têm quase nada a ver com o meu sucesso como pastor! No meu mundo, são as minhas capacidades como comunicador que vão fazer a diferença. Então é aí que eu foco o meu tempo e na dependencia do Espírito Santo.

Para usar o paradigma de Koch, deve dedicar mais do teu tempo a 20% das actividades. Fazendo isto irá aumentar a sua produtividade e o seu valor para a sua igreja ou organização. A principal razão pela qual fazemos demasiado é porque nunca tomámos o tempo suficiente para descobrir aquela porção do que fazemos que faz a maior diferença.

As questões que coloco a seguir, têm o objectivo de o/a ajudar a descobrir as suas competências principais. Tire alguns minutos para fazer uma avaliação pessoal. Talvez seja útil tomar algumas notas à medida que vai trabalhando ao longo desta lista.
  1. O que é que faz quase sem esforço, de acordo com a sua perspectiva, mas parece ser uma tarefa difícil para os outros?
  2. Em que áreas as pessoas o/a consideram a pessoa a quem recorrer?
  3. O que é que gosta no seu emprego actual?
  4. Que coisas desejava poder delegar?
  5. O que é que faz que levanta mais louvores e reconhecimento dos outros?
  6. Em que ambientes anseia vir a trabalhar?
  7. Que ambientes evita?
  8. Que tipo de conselho as pessoas lhe pedem?
  9. Se pudesse focar mais do seu tempo e da sua atenção em um ou dois aspectos do seu emprego, quais seriam eles?
A auto-avaliação é um passo necessário na descoberta das suas principais competências. Mas não é o suficiente. Ninguém é completamente objectivo acerca de si mesmo. Por essa razão, será sábio, ao envolver outras pessoas neste processo. Escolha duas ou três pessoas que o/a conheçam bem e que lideram outros, e peça-lhes para responderem a estas questões sobre si:

1. Se eu viesse trabalhar de graça para vós...
  • Onde é que eu iria adicionar mais valor?
  • Onde queriam que eu focasse a minha atenção?
  • Onde teria mais chances de ter sucesso?
  • Em que área ou áreas iriam assegurar-se de que eu não me envolvesse?
2. No ambiente do meu trabalho actual, onde é que vêem um desalinhamento entre as minhas competências principais e as minhas responsabilidades?

3. Se pudessem aconselhar o meu patrão em como fazer melhor uso de mim, o que lhe aconselhariam?

4. Estão conscientes das áreas na minha vida onde existe um desalinhamento entre a minha paixão e a minha competência?
O terceiro projecto que pode fazer para ajudar a descobrir os seus pontos fortes, é desenvolver duas descrições de empregos para si. O primeiro deve reflectir a realidade actual. O segundo, a descrição do seu emprego ideal.
Imagine por um momento que vai trabalhar para o seu patrão durante os próximos dois anos. Como ajustaria a sua descrição actual de emprego para se posicionar onde adicionaria mais valor à organização? Como poderia o seu patrão fazer melhor uso de si? Quais dos seus talentos não estão a ser usados na sua totalidade, no momento?
Uma vez que tenha completado este projecto, apresente-o ao seu patrão. A resposta dele irá mostrar-lhe muita coisa sobre o seu futuro naquela organização. Se o seu chefe é sábio, irá ver a sua iniciativa como uma oportunidade potencial de realinhar as coisas para aumentar a produtividade. Essencialmente,  gastou tempo e esforço tentando melhorar tanto a produtividade dele como a sua. Se o seu patrão se sente ameaçado pelo seu propósito, isso indica que provavelmente ele colocou o seu interesse pessoal acima do interesse corporativo. Se esse é o caso, pode querer começar a procurar outro ambiente no qual investir os seus talentos.
Se o seu empregador lhe vai pagar de qualquer modo, é melhor ele retirar de si o maior valor que puder. Ninguém beneficia com o desalinhamento organizacional. O desalinhamento é caro. Resulta em desgaste desnecessário, pessoalmente e corporativamente.
Quanto a nós, líderes, seria bom criarmos todos o hábito de perguntar aos nossos colaboradores, as seguintes questões: “O que quer fazer? Como o/a posso ajudar a alcançar uma maior satisfação dentro desta organização? Onde é que as suas capacidades não estão a ser usadas da melhor maneira? Como o/a posso ajudar a focar mais do seu tempo e energia na(s) coisa(s) relacionadas com as suas competências principais bem como adicionar valor a esta organização?”
Por causa do meu relacionamento com a nossa equipa de liderança, sinto-me confortável em falar-lhes sobre aquilo em que estão interessados para além das paredes do Centro Cristão Vida Abundante. Estou cercado por vários líderes que poderiam partir em qualquer direcção e terem sucesso. Se sentirem a necessidade de investir os seus talentos noutro lugar, eu não quero que eles escondam isso de mim por medo ou culpa. Quero que sintam que podem contar comigo para os apoiar em qualquer novo empreendimento que sintam seguir. Ao fim ao cabo, as atitudes com que se fazem as coisas são sempre o mais importante. Quer seja positivo, quer seja negativo.
Numa das minhas conversas com a minha equipa de liderança local, desafiei-os a partilharem o que sentiam ser a vontade de Deus para eles. A resposta foi esmagadora. Eu não fui suficientemente esperto para antecipar que estava a dar autorização à equipa para expressarem algumas coisas que andavam a pensar mas que não tinham a certeza se seriam bem recebidas.
Nós sabemos quando estamos a ser mal empregues. Sabemos quando os nossos talentos e esforços estão a ser mal empregues. O que não sabemos é o quanto os nossos líderes estão abertos para ouvir sobre isto. Como resultado desta tarefa fizemos algumas mudanças significativas que trouxeram um melhor alinhamento para a toda a equipa. Mais ainda, tropeçámos numa nova ferramenta pela qual descobrimos aquilo que as nossas pessoas pensavam e sentiam.
Agora, se é um empregador, pode estar a pensar: Não será isto perigoso? Não tem medo de perder os seus melhores trabalhadores? Não está preocupado com a estabilidade e futuro sucesso da sua organização? A resposta a estas três questões é Não. Primeiro que tudo, eles não são os “seus” trabalhadores. Segundo, não é a “sua” organização. Além disso, se saírem, "eu vou com eles"! De qualquer modo, eventualmente eles irão sair. Eu apenas tenho aprendido que é melhor lançar as pessoas do que perdê-las.
Adicionalmente à sua descrição de trabalho desenhada à volta do seu emprego actual, desenvolva o que consideraria ser a melhor descrição possível de trabalho. Isto é apenas para ser visto por si. O alvo deste exercício é ajudá-lo a identificar o lugar onde se sentiria mais produtivo e consequentemente com mais sucesso. Sonhe um pouco.
E se pudesse fazer qualquer coisa e trabalhar noutro lugar? O que faria? Onde iria fazê-lo? Com quem trabalharia? Vá em frente, escreva-o. Claro que pode parecer irrealista do lugar onde se encontra agora. Mas as visões parecem sempre irrealistas quando são primeiramente lançadas. Esta é uma visão, não um plano.
Organize a visão do seu emprego de sonho à volta de duas coisas: área e responsabilidades.

1. À luz dos seus pontos fortes, pontos fracos, dons e paixões, descreva a área ideal de trabalho.

  • Com que tipo de pessoas gostaria de trabalhar?
  • Quereria trabalhar como parte duma equipa ou sozinho?
  • Quereria viajar? Se sim, quanto?
  • Gostaria duma área altamente estruturada?
  • Trabalharia melhor numa área com uma estrutura mais liberal?
2. À luz dos seus pontos fortes, pontos fracos, dons e paixões, por que tipo de coisas gostarias de ser responsável?

  • Vê-se a si mesmo na organização, nas vendas ou na publicidade?
  • Gostaria de trabalhar com números, pessoas ou ambas as coisas?
  • Que tipo de tarefas gostaria de fazer face?
  • Gostaria dum emprego que exigisse muita escrita?
  • Gostaria dum emprego que exigisse capacidades orais?
A razão deste exercício ser tanto saudável como útil é que lhe permite pensar puramente em termos das suas paixões e habilidades. Começar com uma página em branco é libertador. Também pode ser intimidador. Nós ansiamos por estrutura e fronteiras. Mas as fronteiras podem tornar-se paredes. As fronteiras fazem com que nos apresentemos diminuídos.

Tire algum tempo para desenvolver uma curta descrição de trabalho que acredite ir ajudá-lo a focar-se nas suas competências principais. Esses parágrafos irão servir como sua visão profissional – uma espécie de bússola. A próxima vez que for a uma entrevista de trabalho terá uma referência pela qual pode medir a adequação do emprego para o qual está a ser entrevistado.

No início desta secção, declarei que, como líder, não deve estar preocupado sobre estar bem rodeado. Em vez disso deve edificar sobre os seus talentos e delegar tudo o resto. Quando faz isto, o resultado é uma organização competente que reflecte os seus pontos fortes e não os seus pontos fracos. Ajudar aqueles que estão à sua volta a descobrirem as suas competências principais e depois posicioná-los em conformidade com isso assegura que a sua organização pode funcionar ao mais alto nível.

Mencionei anteriormente que é melhor eu ficar afastado do planeamento de eventos. Isto não é uma coisa que eu faça bem. No entanto, a nossa igreja tem sido conhecida por receber e produzir eventos de qualidade. Porquê? Porque ao me afastar (e ficar afastado!) dessa área, criei oportunidades para pessoas que são dotadas nessa área prosperarem. Como resultado disso, as pessoas estão constantemente a felicitarem-me por facetas da nossa igreja pelas quais eu não tive nada a ver.

Para desenvolver uma equipa competente, ajude os líderes da sua organização a descobrir quais são as suas competências de liderança e delegue de acordo com isso. Há várias maneiras de fazer isto:

1. Faça uma lista das pessoas chave e escreva qual a sua percepção do seu valor para a organização. Depois de ter feito isto, avalie as suas descrições de trabalho, colocando a si mesmo a seguinte questão: “Como é que posso libertar mais tempo delas para fazerem as coisas que aumentam mais valor à organização"?
2. Encoraje a sua equipa a reescrever a descrição de trabalho actual com o alvo de refocar o tempo deles em coisas que eles fazem melhor.
3. Leve as pessoas chave através duma discussão dos princípios debatidos nestes três artigos.
4. Crie oportunidades para a sua equipa discutir melhores formas de aproveitar ao máximo as suas capacidades.
Ter as pessoas certas nas posições certas é essencial para o seu sucesso e para o sucesso da sua organização.
Há alturas em que se deve lançar a fazer coisas que estão fora das suas competências principais. Mas essas ocasiões devem ser escolhidas estrategicamente, e devem ser uma excepção, e não uma regra.
Por vezes afasto-me temporária e estrategicamente da área onde aumento mais valor corporativamente, e entro numa área onde a minha apreciação é sentida pessoalmente. Aparecer por algum tempo nalguma tarefa fora da minha área de competência, envia uma mensagem a todos os colaboradores sobre o significado da minha contribuição individual. Tornando-me “num dos trabalhadores” durante um tempo, aumenta a minha influência sobre aqueles que me seguem quando regresso ao fato e à gravata ( se for esse o caso).
Dentro do contexto das suas actuais responsabilidades e competências principais, que precisa de acontecer para libertar a maior parte do seu tempo para fazer aquilo que só você pode fazer? Que pode fazer para expandir os seus 20% para 80%? Segundo as palavras dos apóstolos, que está a fazer agora que “não é certo”? O que é que está a ser negligenciado porque o seu tempo está a ser consumido por coisas que caem fora das suas competências principais?
À medida que se aproxima do ideal, irá tornar-se cada vez mais valioso para a sua organização. À medida que estreita o seu foco, irá alargar as oportunidades para aqueles que escolheram segui-lo. De acordo com Stephen Covey, "delegar, é talvez a mais poderosa alavanca da actividade mais proveitosa que existe". Há pessoas que gostam daquilo que você detesta. Fortaleça a sua equipa, libertando-os para fazerem aquilo que só eles podem fazer. Dessa maneira irá assegurar que a sua organização reflecte os seus pontos fortes bem como os pontos fortes daqueles que o rodeiam.
O Desafio da Próxima Geração
1. Qual é a sua definição de sucesso na sua situação profissional actual?
2. Há alinhamento entre as suas competências principais e as competências necessárias para ser bem sucedido no seu emprego?
3. O que mudaria na sua descrição de trabalho se lhe dessem liberdade de se focar apenas nas duas ou três coisas que faz melhor?
4. O que seria necessário mudar na sua situação profissional actual de modo a focar-se nas coisas que adicionariam mais valor à sua organização?

7 de novembro de 2010

Poucas Palavras, Grandes Ensinamentos - Nº 7 (Novembro 2010)

PARA HOMENS
  1. Ninguém jamais foi honrado pelo que recebeu. A honra é a recompensa pelo que se deu. (Provérbios 21:26 - "... Mas o justo dá, e nada retém").
  2. Talvez uma vez em 100 anos uma pessoa possa ser arruinada pelo excesso de elogios, mas certamente uma vez a cada minuto, alguém morre por dentro pela sua falta. (Efésios 4:29 - "Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, conforme a necessidade, para que beneficie aos que a ouvem").
  3. As pessoas grandes monopolizam o ouvir. As pessoas pequenas monopolizam o falar. (Provérbios 29:20 - "Tens visto um homem precipitado nas suas palavras? Maior esperança há para o tolo do que para ele").
  4. O primeiro dever do amor é ouvir. (Tiago 1:19 - "Sabei isso, meus amados irmãos: Todo o homem seja pronto para ouvir...").
PARA MULHERES
  1. Estar em paz consigo mesma é um resultado directo de ter encontrado a paz com Deus. (Filipenses 4:7 - "E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus").
  2. As pessoas que têm tacto, têm menos a retratar-se. (Provérbios 15:28 - "O coração do justo medita o que há de responder; mas a boca dos perversos transborda maldades).
  3. Jesus pode transformar água em vinho, mas não pode transformar suas resmunguices em algo produtivo. (Filipenses 2:14 - "Fazei tudo sem murmurações nem contendas").
  4. A menor boa acção é melhor que a maior das intenções. (I João 3:18 - "Filhinhos, deixemos de dizer apenas que amamos as pessoas; vamos amá-las realmente e mostrar isto pelas nossas acções").
PARA CASAIS
  1. Você nunca "encontrará" tempo para fazer alguma coisa. Se você quiser ter tempo, terá de fazê-lo. (Eclesiastes 9:10a - "Tudo o que te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças").
  2. Noventa por cento da fricção da vida diária é causada pelo tom de voz errado. (Provérbios 15:23 - "O homem se alegra em dar resposta adequada, e a palavra a seu tempo quão boa é").
  3. O casamento deve exemplificar o mais alto ideal de amizade, ou então será um fracasso. (João 15:13 - "Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a própria vida pelos seus amigos").
  4. O perdão é dar amor quando não existe motivo para dar... (Mateus 5:7 - Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia").
PARA PAIS
  1. Você não pode ensinar a criança a cuidar de si mesma, a não ser que a deixe tentar por si... ela cometerá erros; e a partir desses erros brotará a sua sabedoria - Henry Ward Beecher. (Isaías 54:13 - "Todos os teus filhos serão ensinados do Senhor, e grande será a paz de teus filhos").
  2. Aquele que sacrifica a sua consciência em favor da ambição, queima uma obra de arte a fim de obter cinzas. (I TImóteo 1:19 - "Conservando a fé, e a boa consciência, a qual alguns, havendo rejeitado, vieram a naufragar na fé").
  3. Nada do que já fiz me proporcionou mais alegrias e recompensas do que ser um pai para meus filhos - Bill Cosby. (Salmo 127:3 - "Os filhos são a herança do Senhor, e o fruto do ventre o seu galardão").
  4. Quando amamos alguma coisa, é porque tem valor para nós, e quando essa mesma coisa possui valor para nós, passamos tempo com ela, deleitando-nos com ela e cuidando dela - Passemos tempo com os nossos filhos. (II Coríntios 12:15 - "Eu de muito boa vontade gastarei, e me deixarei gastar pelas vossas almas...").
PARA MÃES
  1. Uma mãe talvez possua o solo mais árido da terra, e, ainda assim, nenhuma mãe merecedora de seu título, que se tenha dado completamente a seu filho, não sentiu que, apesar de tudo, colheu o que plantou - Henry Ward Beecher. (Gálatas 6:9 - "E não nos cansemos de fazer o bem, pois a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido").
  2. Nunca, nunca seja tão orgulhosa a ponto de não dizer "sinto muito" a seu filho, quando você comete um erro. (Tiago 5:16 - "Confessai os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros...").
  3. Na prática da arte de ser mãe, um pouquinho de exemplo vale mais do que uma tonelada de sermões. (Mateus 5:16 - "Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus").
  4. Deve aproveitar todas as oportunidades para incentivar os filhos. O incentivo é o oxigénio para a alma. (Provérbios 15:23 - "O homem se alegra em dar resposta adequada, e a palavra a seu tempo boa é").