4 de agosto de 2010

Passos para mudanças pessoais - Parte 1 (Agosto 2010)

“Precisamos ser a mudança que visionamos” (Mahatma Gandhi)

“Todos pensam em mudar o mundo,mas ninguém pensa em mudar-se a si mesmo” (Leo Tolstoy)

"Se você realmente quisesse ser diferente, estaria no processo de mudança agora mesmo" (Fred Smith)

"Nenhuma pessoa pode mudar outra" (João Cardoso)

Mudança... mudança... mudança. É uma das palavras mais citada pelas pessoas, incluíndo as que se movem nos círculos cristãos. Tantas e tantas vezes também pensei para mim mesmo: "preciso de mudar". A minha necessidade e a constatação das necessidades dos outros, levaram-me à meditação, à leitura e pesquisa. Algums lições pude extraír. Uma delas é que, não nos podemos tornar naquilo que precisamos ser, permanecendo o que somos. Outra foi: se começarmos a operar as mudanças pessoais certas, as outras tornar-se-ão bem mais fáceis.

Assim, ao longo de alguns artigos nesta secção, penso partilhar alguns passos para efectuarmos mudanças pessoais bem-sucedidas, resultantes da minha aprendizagem ou experiência, bem como dar a conhecer pensamentos e afirmações de outros, que por certo irão enriquecer a sua vida e ajudar cada um na tomada de decisão de mudar, se essa é a sua necessidade (e honestamente, eu creio que estamos sempre a precisar de produzir mudanças pessoais a fim de continuarmos a crescer).


1º PASSO

QUANDO MUDO OS MEUS PENSAMENTOS, MUDO AS MINHAS CRENÇAS


Deixem-me partilhar alguns pensamentos acerca do pensar:

  1. Todas as coisas começam com um pensamento - Ralph Waldo Emerson disse: “A vida consiste do que um homem pensa durante o dia”.
  2. O que pensamos determina quem somos. O que somos determina o que fazemos. John Locke disse: “As acções dos homens são as melhores intérpretes dos seus pensamentos”
  3. Os nossos pensamentos determinam o nosso destino. O nosso destino determina o nosso legado. Estamos hoje, onde os nossos pensamentos nos trouxeram. Estaremos amanhã, onde os nossos pensamentos nos levarem.
  4. Pessoas que se distinguem das outras, pensam de maneira diferente. Não há nada que limite tanto a realização de sonhos, como o pensar pequeno. Uma das formas de expandirmos as nossas posibilidades, é termos pensamentos "sem amarras" (é óbvio que não me refiro a toda a sorte de pensamentos).
  5. Podemos mudar a forma como pensamos. “Tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama,se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai” (Filipenses 4:8).
Porque muitas pessoas falham em controlar os seus pensamentos, falham em controlar as suas vidas.
“Numa sociedade de urgência como a nossa, pessoas mentalmente fora de forma caem usualmente vítimas de ideias e sistemas destrutivos para o espírito e relacionamentos humanos. São enganadas porque nunca se ensinaram a si mesmas a como pensar, nem se dedicaram a si mesmos na busca do crescimento das suas mentes. Não tendo a capacidade de uma mente forte, cresceram na dependência dos pensamentos e opiniões dos outros. Em vez de lidarem com ideias e assuntos, reduzem-se a si mesmos a vidas cheias de regras, regulamentos e programas”. (Gordon MacDonald)

Como devemos pensar?

  1. Pensemos grande – Isso capacita-nos a ver para além de nós mesmos.
  2. Pensemos focado – Isso permite-nos remover distracções.
  3. Pensemos criativamente – Isso permite-nos sair para fora das nossas limitações.
  4. Pensemos realisticamente – Isso permite-nos ter um alicerce para mudança.
  5. Pensemos estrategicamente – Isso permite-nos ter um plano para mudança.
  6. Pensemos nas possibilidades – Isso permite-nos olhar e recebermos o melhor.
  7. Pensemos reflectidamente – Isso permite-nos obter uma perspectiva correcta de nós mesmos.
Embora nem todas as mudanças sejam as mesmas, há um elemento comum a todas elas… pensar. Quando somos capazes de reduzir o processo de pensar a um número maneável de passos, reduzimos os riscos associados às mudanças.

Para concluír, deixem-me dar-vos 7 níveis de pensamento que requerem 7 acções correspondentes:

  • Primeiro nível de pensamento: Eficácia - Acção correspondente: Fazer as coisas certas.
  • Segundo nível de pensamento: Eficiência - Acção correspondente: Fazer as coisas acertadamente.
  • Terceiro nível de pensamento: Desenvolvimento - Acção correspondente: Fazer as coisas certas melhor.
  • Quarto nível de pensamento: Redução - Acção correspondente: Abolir coisas extra.
  • Quinto nível de pensamento: Copiar - Acção correspondente: Fazer coisas que os outros estão a fazer.
  • Sexto nível de pensamento: Diferente - Acção correspondente: Fazer coisas que mais ninguém está a fazer.
  • Sétimo nível de pensamento: Impossível - Acção correspondente: Fazer coisas que “não podem” ser feitas.
"Ser CRIATIVO é quando pensamos acerca do que pensamos. Ser INOVADOR é quando agimos de acordo com as nossas ideias".

3 de agosto de 2010

Motivação Empresarial e Profissional - Nº4 (Agosto 2010)

Planeamento Centrado em Princípios

Planeamento. Muito frequentemente este elemento é omitido por muitos empresários, profissionais e líderes cristãos ao tentarem alcançar os sonhos e desejos que possuem. Lançam a visão, reúnem as pessoas, mas salvo raras excepções, pouco mais fazem do que “esperar” chegar ao destino desejado. Como podemos mudar tal estado de coisas? O que fazer? Seguem-se algumas ideias que creio poder ajudar a todos.

TIPOS DE PLANEAMENTO

O rumo de cada projecto ou ano que começa é como uma viagem rio abaixo. O decorrer da mesma depende de si, o líder. Quando um líder permite que o “barco” flutue ao sabor da corrente em vez de o navegar e remar, pratica o Planeamento Passivo - ou “falta de planeamento.” Eventualmente isso conduzi-lo-á a si e aos seus colaboradores, sem qualquer preparação, a cachoeiras - ou pior ainda - a cataratas temíveis.

Uma outra prática popular é o Planeamento de Pânico. Os líderes que usam este método permitem que “o barco” seja levado pela correnteza até chegarem os problemas. Então reúnem todos os recursos disponíveis numa luta reaccionária, tentando resolver o problema. Podem ou não sair vivos, mas se sobreviverem, é garantido que ficarão com algumas nódoas negras ou arranhões.

Existe uma alternativa e esta é a chave para a eficácia. É chamada de Planeamento Centrado Num Princípio. É diferente de uma abordagem de planeamento científica ou gestora, que pode ser trabalhosa, mecânica e inflexível, e que muitas vezes causa “o abandono” durante a viagem. O Planeamento Centrado Num Princípio, por outro lado, é uma abordagem artistica ou orientada para a liderança. Fornece planeamento baseado em princípios, mas também reconhece que a vida no geral e as pessoas em particular, não podem ser demonstradas em gráficos ou em mapas.

PRINCÍPIOS PARA PLANEAMENTO

Os sete princípios mencionados a seguir podem orientar o seu planeamento. Use- os e verá que os detalhes dos seus planos ficarão em ordem.

  1. Paixão - Estabelecer alvos arbitrários só porque é um novo ano ou projecto, raramente cultiva a paixão necessária para que o trabalho apareça feito. Deve seguir a sua paixão e estar apaixonado em relação à sua missão (claro que isto requer que a conheça claramente.) Por outras palavras, você deve desejar chegar ao seu destino mais do que qualquer outra coisa no mundo.
  2. Criatividade - Gosto de chamar a isto o tempo de “Retiro.” Significa passar tempo em terra seca, “iniciando mentalmente a viagem”, antes de você e os seus colaboradores se meterem na água. O seu foco deve ser a proactividade. Claro que não será capaz de prever todas as coisas que virão, mas a fé e o planeamento não se excluem mutuamente. É como uma sanduíche: duas fatias de fé com muito planeamento no meio. Passe calmamente e sozinho o tempo que for necessário para poder pensar, orar, sonhar, antecipar, elaborar, imaginar e processar tudo o que Deus tem planeado para abençoar a sua empresa, trabalho ou ministério. Parta para o seu “retiro” apenas com Deus, um bloco de notas e uma caneta. Depois comece a escrever.
  3. Influência - Qual é o seu nível de influência? Será que é capaz de recolher os recursos necessários para chegar ao seu destino? Os três recursos principais de um líder cristão são as pessoas, o tempo e o dinheiro. Pense minuciosamente naquilo que necessita para que o trabalho seja feito. Tem? Se não, pode arranjar? Não é a meio do rio que deve descobrir que não tem comida e coletes de salvação.
  4. Tempo Certo - O tempo certo é crítico. Tudo pode estar no seu lugar, mas se não é o tempo certo para lançar esta missão, projecto ou ministério específico, pode estar a caminhar para o desastre. Os seus colaboradores estão prontos para isso? A sua equipa de liderança apoia-o? Não force nada. Agir no tempo certo aumenta grandemente a sua confiança e as chances para o sucesso.
  5. Trabalho de Equipa - O trabalho em equipa considera o factor relacionamento e está ligado à influência. Lida com os corações das pessoas que lhe são mais chegadas, que o ajudarão a planear e a completar a viagem. Estão todos os seus relacionamentos-chave em boa ordem? Não devem existir problemas não solucionados, tensões escondidas ou uma falta de descanso geral no que toca ao processo do planeamento. Não quererá vir a descobrir, a meio da viagem, que alguns dos seus colaboradores o querem ver atirado ao rio!
  6. Flexibilidade - Todo o bom planeamento considera o desconhecido. É impossível antecipar tudo. Existem duas chaves para a flexibilidade: Primeiro, prepare-se mentalmente pois nem tudo sairá de acordo com o plano. Segundo, olhe para esses “troncos ou galhos submersos” no rio, como oportunidades, não problemas. Tire vantagem das surpresas que surgem no caminho. Esse tronco que pensou ser um obstáculo poderá evitar que vá parar a cataratas não indicadas no mapa!
  7. Colheita - Existem dois elementos chave para o princípio da colheita: fé e fruto. Por outras palavras, pergunte, “Qual é a minha parte e qual é a parte de Deus?” O desejo final é o fruto (sucesso) mas devemos ter a certeza que permitimos a Deus fazer parte do processo. Se o fizermos, seremos capazes de medir a colheita e celebrar os resultados.

COMECE IMEDIATAMENTE

Faça hoje mesmo o compromisso de que não acabará outro ano sem retirar tempo para pensar calmamente e planear. Não calcula os resultados positivos que irá experimentar: falsos começos evitados, tempo e dinheiro poupado, relacionamentos fortalecidos, e a lista não termina...

2 de agosto de 2010

Poucas Palavras, Grandes Ensinamentos - Nº6 (Ago. 2010)

PARA HOMENS
  1. O mais valiosos de todos os talentos é nunca usar duas palavras quando uma só é suficiente. (Provérbios 10:19 - Na multidão de palavras não falta transgressão; mas o que modera os lábios é prudente).
  2. A perseverança é um elemento importante do sucesso; se você bater com insistência e vigor à porta, você terá a certeza de que vai acordar alguém. (Lucas 11:9 - Pedi e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á).
  3. Nada grandioso jamais foi alcançado sem entusiasmo. (Neemias 8:10 c - ...pois a alegria do senhor é a vossa força).
  4. Metade dos problemas desta vida são causados pelo dizer SIM depressa demais, e pelo não dizer NÃO, suficientemente depressa. (Provérbios 29:20 - Tens visto um homem precipitado nas suas palavras? Maior esperança há para o tolo do que para ele).
PARA MULHERES
  1. A ponte que você queima agora, pode ser a que você terá de atravessar mais tarde. (Romanos 12:18 - Se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens).
  2. Se você não se levantar por alguma coisa, cairá por qualquer coisa. (I Coríntios 6:20 - Porques fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo).
  3. Você nunca deverá deixar que a adversidade a faça caír - a não ser de joelhos. (Romanos 8:38,39 - Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de deus, que está em Cristo Jesus, nosso senhor).
  4. A melhor ponte entre o desepero e a esperança é normalmente uma boa noite de sono. (Salmos 127:2 - Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão que penosamente granjeastes; aos seus amados ele o dá enquanto dormem).
PARA CASAIS
  1. Antes do casamento as três mais pequenas palavras são: "Eu amo-te". Depois do casamento elas são: "Vamos jantar fora". (I Coríntios 7:33 - Mas o casado cuida das coisas do mundo, em como há de agradar a sua mulher).
  2. As palavras agradáveis podem ser pequenas e de fácil dicção, mas o eco que produzem é verdadeiramente eterno. (Provérbios 16:24 - Favos de mel são as palavras agradáveis, doçura para a alma e saúde para os ossos).
  3. É a nossa singularidade que produz o frescor e a vitalidade no relacionamento. (Salmos 139:14 b - Pois de um modo terrível e maravilhosos fui formado).
  4. Uma discussão é a maior distância entre dois pontos. (Efésios 4:26 - Irai-vos e não pequeis. Não se ponha o sol sobre a vossa ira).
PARA PAIS
  1. O primeiro dever do amor é ouvir. (Tiago 1:19 - Sabei isto, meus amados irmãos: Todo o homem seja pronto para ouvir...).
  2. Aquele que deseja que seu filho o respeite e obedeça às suas ordens, deve ele mesmo ter grande reverência pelo seu filho. (Romanos 12:10 - Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros).
  3. Ninguém jamais foi honrado pelo que recebeu. A honra sempre foi a recompensa pelo que se deu. (Provérbios 21:26 - ...mas o justo dá, e nada retém).
  4. ...podemos tanto agraciar nossos filhos, quanto amaldiçoá-los com feridas que talvez nunca sarem ou sejam difíceis de sarar... homens, como pais vocês possuem este poder. (Provérbios 18:21 - A morte e a vida estão no poder da língua: e aqueles que a amam comerão do seu fruto).
PARA MÃES
  1. Quando o nosso lar é governado de acordo com a palavra de Deus, os anjos podem ser enviados para permanecer connosco, e eles nunca se sentirão fora do seu ambiente - Charles H. Spurgeon. (Salmos 119:15,16 - Em teus preceitos meditarei, e olharei para os teus caminhos. Deleito-me nos teus decretos; mas não me esquecerei da tua palavra).
  2. Uma mãe nunca está em posição tão alta quanto quando se encontra ajoelhada. (Tiago 4:10 - Humilhai-vos perante o Senhor e Ele vos exaltará).
  3. Através dos séculos nenhuma nação teve melhor amigo do que a mãe que ensinou o seu filho a orar. (Colossenses 4:2 - Perseverai na oração, velando nela com acções de graça).
  4. Entregue os seus problemas a Deus; Ele vai estar acordado a noite toda, de qualquer maneira. (Salmos 121:3 - Não deixará vacilar o teu pé; aquele que te guarda não dormitará).

OBSERVAÇÃO: A partir do próximo número de Poucas Palavras, Grandes Ensinamentos, passarei a incluír uma alínea dedicada aos filhos conforme sugestão da Priscilla Pinghin.

O que sente pelo dinheiro?

Já alguma vez parou para pensar sobre o que sente pelo dinheiro? A maioria das pessoas nunca o fez.

Sabe que 99% das pessoas possuem 1% do dinheiro? Pode dizer isto de outra forma: 1% das pessoas, possuem 99% da riqueza mundial.

Como é que isso o faz sentir? Você faz parte dos 1% ou é parte dos 99%?

Já alguma vez experimentou sentimentos negativos contra alguém de quem gosta quando este lhe compra um presente caro? Já alguma vez sentiu ira ou frustração quando olha para o seu salário e vê que ganha 1000 € mas só leva para casa 800 €?

Muitas pessoas já se habituaram ao facto de que os nossos impostos saem directamente do nosso salário. Mas eu lembro-me do choeque e sentimentos que tive da primeira vez que recebi o meu primeiro salário. Senti-me chocado e infeliz! "Não posso fazer isto", "não posso ter aquilo", "não posso ir lá", "não posso ver aquilo". Porquê? Porque não tinha o dinheiro suficiente.

Para alguns, as palavras "não podes ter aquilo", significa que não podem ter um Lamborghini ou Mercedes. Para outros, significa que não podem ir ao dentista, por isso, terão de passar toda a sua vida com dentes tortos e as expressões faciais que os acompanham.

Para alguns, "não podes fazer aquilo" significa que não poderão ir numa viagem de sonho ou comprar a casa com que sempre sonharam. Mas para outros, significa que não podem ir à Universidade ou dar um presente de Natal aos seus filhos.

Como é que isto o faz sentir?

A maioria das pessoas odeia dinheiro. Desejariam não ser necessário o uso do dinheiro, ficando zangadas quando têm de pagar contas ou frustradas quando se lembram de todas as despesas que têm. Todas as contas e investimentos (principalmente os mais elevados) trazem com eles as memórias emocionais de sermos enganados, roubados ou mal informados.

Não se sinta mal. 90% das pessoas na terra têm sentimentos negativos àcerca do dinheiro, e essa é, creio eu, a razão principal porque não têm mais dinheiro. Não suportam pensar nele, e, quando o fazem, amaldiçoam-no e rejeitam-no. O resultado é que o dinheiro "foge" dessas pessoas.

Deus, por meio da Sua Palavra, ensina-nos que o amor ao dinheiro é a raíz de todos os males. Eu compreendo isso. Não devemos amar o dinheiro. Não devemos amontoar dinheiro e agir como miseráveis, de forma a rebolarmo-nos nele de dia e a contá-lo de noite. Mas temos de aprender a celebrar o facto de termos dinheiro e a cuidar dele de forma correcta, porque é preciso - e sempre será - para fazermos o que devemos fazer, e possuír o que devemos possuír.

Pense nisto desta forma: Quando celebramos alguma coisa, tomamos conta dessa coisa. Algumas pessoas são capazes de cuidar dos carros e mantê-los impecáveis ao longo de décadas. As pessoas que louvam a Deus pelos seus filhos e cuidam deles, gostam de estar ao pé deles. Uma equipa bem estimada é feliz e mantém-se junta. Um animal de estimação bem cuidado é geralmente um animal amistoso. Um animal de estimação que não tem atenção, pode tornar-se mau e até perigoso.

O dinheiro é semelhante a esse animal doméstico (eu não quero dizer cônjuge, mas um cônjuge negligenciado pode causar-lhe dor e desconforto). Tome conta do seu dinheiro e este crescerá e será bom para si. Se negligenciar o seu dinheiro, ele irá causar-lhe problemas graves ou até poderá deixar de o ter.

Como cristãos, é-nos ordenado na Sua Palavra que sejamos doadores. Que possamos dar ofertas e sejamos fiéis a devolver a Deus o que Lhe pertence - os nossos dízimos. Mas neste processo, o mais importante é que guardemos os nossos corações porque não é Deus quem recebe directamente o dinheiro. Ele não precisa de dinheiro. Ele recebe o amor e a obediência que supostamente acompanha o dinheiro. Ele recebe as atitudes dos nossos corações. As Escrituras ensinam-nos que devemos louvar a Deus com o nosso dinheiro. É-nos ensinado a termos uma atitude de reverência para com Deus quando levamos os nossos presentes até Ele. Muitos de nós fazemos isto, e quando o acabamos de fazer odiamos o dinheiro porque agora temos uma falta que nos causa dor. Ficamos perturbados porque não temos mais para dar ou porque não temos o que precisamos para ir onde queremos. Nunca é suficiente.

Deixe-me fazer-lhe esta pergunta: "Não é suficiente para quê"?

Lembre-se disto: Não interessa se você tem mesmo muito pouco, é sempre suficiente para dar para Deus. Pode dar a Deus um presente de uma quantia qualquer. Se o seu coração está correcto, Ele não deixará de lhe dar o retorno. Ele nunca olha para a quantia. Ele olha para a atitude do coração.

Só o facto de Jesus receber um presente seu, deveria entusiasmá-lo. Deveria ser motivo para celebração. Ele deu-nos a capacidade para dar, e quanto mais celebramos essa capacidade em nós próprios, melhores seremos. Estaremos melhor equipados para o fazer.

Nós temos o que falamos. E somos bons naquilo que fazemos consistentemente. Comece a levar a sério os tempos de oferta, porque é nesta altura que as nossas atitudes determinam se vamos pertencer aos 99% ou ao restante. Celebre o dinheiro que tem e vai começar a atraí-lo. Cuide dele como de uma semente preciosa. Continue a ficar frustrado, zangado ou revoltado e o dinheiro fugirá de si.

Amados, desejo que prosperem, assim como bem vai a vossa alma. Oro para que hoje creiam que podem todas as coisas através de Cristo, que vos fortalece, e que todas as coisas vos são acrescentadas ao buscarem diligentemente o Seu Reino e a Sua Justiça.