11 de maio de 2010

Preconceitos

Preconceito é uma palavra de origem latina constituída pelo prefixo pré e pelo substantivo conceptus, que significa opinião. O Dicionário define assim: “Conceito ou opinião tomados antecipadamente aos factos”. Relaciona ainda outras conotações: superstição, crendice, suspeita, intolerância, ódio ou aversão irracional a determinadas pessoas, coisas ou instituições.

A complexidade da vida moderna tende a aumentar os problemas do mundo actual. A cada avanço da ciência, multiplicam-se as dificuldades do relacionamento humano. Quanto mais a tecnologia moderna tem evoluído, mais se têm complicado as relações entre os homens.

Na simplicidade dos tempos antigos, muitos foram os obstáculos que impediram a evolução do ser humano. Talvez, porém, nenhum outro tenha sido tão pernicioso quanto o preconceito. Ainda hoje, os preconceitos continuam a ser um dos grandes males que permeiam a mentalidade humana dos nossos dias. Se os homens aprenderem com Jesus a não ser preconceituosos, a vida humana na terra será bem mais fácil.

CONCEITO

Muitos cristãos através dos séculos parecem não ter levado a sério o mandamento de Jesus: “Não julgueis para que não sejais julgados”. Ele mesmo a ninguém julgou. E o que é preconceito, se não um julgamento antecipado?

Não podemos deixar de reconhecer, que os preconceitos são um fenómeno tipicamente humano, pois a história mostra-nos que em todos os tempos, os homens têm sido preconceituosos. Em toda a história humana, Jesus foi a única excepção.

Preconceitos como superstição e crendice, penetram facilmente no modo de pensar das pessoas ignorantes, incapazes de raciocinarem por si mesmas. Essas superstições e crendices são transmitidas de pais para filhos, de geração para geração, sem qualquer esforço crítico ou de análise. São aceites cegamente e penetram com subtileza no espírito das pessoas.

Muitas vezes, os preconceituosos não sabem explicar porque são assim. Aprenderam o preconceito não só com palavras mas especialmente com atitudes dos mais velhos, dos vizinhos ou da própria comunidade em que vivem. São tão fortes que, para alguém se livrar daqueles que foram inoculados na sua mente, têm que se agigantar e fortalecer intelectualmente.

TIPOS DE PRECONCEITO

É muito ampla a classificação de preconceitos. Estão presentes em todos os sectores da vida. Eis alguns tipos:

Preconceito Religioso

Infelizmente, muitos são os cristãos, que devendo ter a mente isenta de preconceitos, alimentam esse mal de modo assustador. Parece haver maior preocupação nas suas mentes em condenar do que em salvar, justamente o contrário do propósito divino, porque “Deus enviou o Seu Filho ao mundo, não para o condenar, mas para que o mundo fosse salvo por Ele.”

A preocupação em julgar os outros sem fundamento, decorre do facto de muitos não admitirem que outros pensem de forma diferente da deles, apesar de defenderem a liberdade cristã. Enquanto Jesus diz: “Se alguém quiser vir após mim”, deixando a oportunidade de escolha aos que O ouvem, esses negam essa liberdade, exorbitando os seus esforços para levar todo o mundo à sua maneira de pensar.

O ateu que rejeita a Cristo é considerado, por quase todos os cristãos, como inimigo odiado. Um contraste com o que ensina Jesus quando diz: “Amai os vossos inimigos”. O nosso Deus “faz com que o sol se levante sobre maus e bons e a chuva desça sobre justos e injustos”.

Preconceito Racial

Esse tipo de preconceito é tão ridículo que, além de se tentar explicá-lo por razões étnicas e sociais, chegam ao cúmulo de o quererem justificar com argumentos bíblicos, forçando a interpretação dos textos. Todo aquele que tem preconceitos raciais, está bem longe dos ensinos bíblicos. A Bíblia apresenta o preconceito racial como facto histórico e existencial, mas jamais o justifica.

Os portugueses em geral, vangloriam-se de que não há preconceitos raciais em Portugal. Isso, no entanto, não é verdade. A tal democracia racial portuguesa ainda tem de evoluir muitíssimo. Muitos são os “portugueses” nascidos nas ex-colónias portuguesas que devido à sua cor – negros ou mulatos – sofrem restrições e são esmagados socialmente. Entre estes, também existem alguns que, apesar de terem sido aceites, quando à custa de muitos sacrifícios viram os preconceitos raciais serem vencidos, ainda sofrem de “complexos” ou “sentimentos de perseguição” que os leva a olhar para os outros – brancos - que os aceitaram, como racialmente preconceituosos.

Um cristão sincero e honesto deve lutar consigo mesmo para vencer o preconceito racial que subtilmente pode ter sido inculcado na sua mente pelas tradições e costumes da sociedade de que faz parte.

Preconceito Ideológico

Tal como o preconceito religioso, o ideológico prende-se a ideias. O primeiro dirige-se exclusivamente à religião, enquanto que o segundo abrange o mundo das ideias, sejam elas filosóficas, éticas, políticas ou sociais. Como todo o preconceito, o ideológico invade subtilmente as mentes das pessoas, pela falta de sentido crítico. Preconceitos sobre sistemas de ideias têm sido inseminados nas pessoas e como estas, na maior parte dos casos não têm sido instruídas a exercer o seu sentido crítico, aceitam--nas docilmente e alguns até as passam a defender com fervor.

É praxe, em determinados grupos, taxar as pessoas que pensam por si próprias de modernistas, ecumenistas, esquerdistas e outros “istas”, em sentido perjorativo. No mundo das ideias, há espaço para todas. Ninguém deve ser condenado por ter ideias próprias. O diálogo, que nada mais é que a liberdade de consciência e de expressão, precisa mais do que nunca, de ser admitido e cultivado.

Preconceito Social

Este é o que divide as sociedades em classes e que produz a famigerada luta, existente em todos os sistemas políticos, por motivos económicos. Muitos dos bem equilibrados na vida social, desprezam e humilham os pobres, porque dizem ser preguiçosos, esquecendo-se da aberrante injustiça social na sociedade da qual participam.

Preconceito Sexual

Apesar dos avanços alcançados nos últimos anos, a mulher é inferiorizada e colocada sempre em segundo plano, subalterna ao homem, não apenas no lar, mas também na sociedade em que as leis são feitas pelos homens para o benefício deles, sujeitando as mulheres a viverem dentro de uma moldura.

Preconceito dos Costumes

Estes tornam-se imutáveis, como se a vida fosse estática ou que se devam eternizar.

CONCLUSÃO

O mundo em que vivemos é fruto das mentes preconceituosas dos que formam a sociedade, a comunidade em que vivemos. Não estará a maioria com os seus preconceitos a contribuir para que a actual situação no mundo continue? O apóstolo Paulo advertiu: “Não vos conformeis com este mundo.” E será bom não deixarmos de atentar para as palavras de Jesus: “Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração”. Os seus ensinamentos – “Não julgueis para não serdes julgados”, “Amai-vos uns aos outros”, “Não vim para julgar o mundo mas para salvá-lo” – a forma como se relacionou com as pessoas – “mulher adúltera, mulher samaritana” – revelam um espírito isento de preconceitos. Aprendamos com Ele.

2 comentários:

  1. Parabens pelos textos no blog,um verdadeiro patrimonio de espiritualidade redigido por um lider iluminado em sabedoria proveniente do Grande Arquitecto e fundamentado no Livro dos povos do bem, a BIBLIA,abraço faterno.
    Megafinance Consultores

    ResponderEliminar