18 de maio de 2010

Mudar a Atmosfera da Igreja (Parte 1) - Abril 2010

“Olhai por vós, e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue”. (Actos 20:28)

Ter viajado, permitiu-me experimentar muitos tipos diferentes de culturas, cidades, nações e lugares. Cada um tem a sua própria atmosfera. Por vezes, pode ser inexplicável, como a atmosfera em certas cidades está marcada pela impureza, perversão e forças do inferno nos ares. É uma atmosfera invisível.

De facto, a atmosfera é uma força muito poderosa nas nossas vidas, famílias, sociedade e igrejas. A atmosfera tem poder para mover as nossas emoções, penetrar nos nossos pensamentos e moldar-nos durante aquele momento.

Compreender o Poder da Atmosfera

A palavra “atmosfera” significa: uma influência ou espírito penetrante, disposição geral ou ambiente social. A atmosfera é afectada pelo ambiente, música, arte e espíritos (Ef. 6:10-12). A atmosfera pode ser afectada por uma mente carnal, confusa, palavras, por forças demoníacas ou pelo Espírito Santo de Deus.

A atmosfera de uma igreja pode ser “belorenta”, estagnada, maçadora, confusa, crítica, legalista e fora de contacto com as pessoas. Pode ser detectada em cada aspecto das expressões da igreja: a adoração, pregação, oferta, oração, ministérios pastorais, juventude, crianças e por aí adiante. Todas essas expressões transportarão o mesmo teor básico como a atmosfera geral da igreja.

Uma igreja que quer experimentar o fluir da vida de Deus terá de ter uma mudança na sua atmosfera. A liderança da Igreja deve ter um interesse especial em manter ou criar a atmosfera conducente ao fluir da vida de Deus.

As Escrituras oferecem-nos alguns exemplos de uma atmosfera que produz vida:

  • Deus no Jardim: Uma Atmosfera de Comunhão (Génesis 3:8; 18:17-33; Êxodo 25:22; Números 7:8,9)
  • Deus na Montanha: Uma Atmosfera de Fé (Génesis 22:13-19; II Crónicas 3:1; Romanos 4:20,21; Hebreus 11:17-19; Tiago 2:21-23)
  • Deus na prisão: Uma Atmosfera de Esperança e Visão (Génesis 37-41)
  • Deus no Lugar Secreto: Uma Atmosfera de Reverência (Génesis 28:10-22; Êxodo 2:14; 3:6)
  • Deus na Casa: Uma Atmosfera de Adoração (I Crónicas 5:13,14)
  • Deus na Reunião de Oração: Uma Atmosfera do Sobrenatural (Actos 2:1-4; 4:1-10)
  • Deus na Reunião Colectiva: Uma Atmosfera de Sensibilidade Espiritual (I Coríntios 12; 14)

Os Líderes Afectam a Atmosfera

Então quem é responsável pela atmosfera da igreja? O Pastor e, claro, todos os outros líderes influentes dentro da congregação, sejam eles Co-Pastores ou não. A sua perspectiva respeitante à presença de Deus, promessas de Deus, guerra espiritual, vida espiritual, ministério e ao Espírito Santo contribuirá para estabelecer a atmosfera espiritual da congregação.

Estas pessoas, têm realmente uma influência fundamental sobre a congregação e sobre a atmosfera espiritual na igreja. Portanto, os nossos cultos e/ou reuniões ministeriais devem ser abordadas com uma:

  • Atitude de Fé: Espero que Deus manifeste hoje a Sua presença.
  • Atitude de Amor: Tenho um fluir transbordante do amor de Deus para transmitir hoje.
  • Atitude de Satisfação: Trago para este culto um sentimento de paz.
  • Atitude de Gozo: Amo aquilo que faço, amo a Deus e gosto do ministério e da igreja.
  • Atitude de Equipa: Desejo que todos os dons e ministérios funcionem. Encorajo a participação, não o controlo.

Estas atitudes são algumas das quais os líderes são encorajados a desenvolver e a depositar na igreja ou grupos ministeriais, cada vez que se reúnem. Estas atitudes ajudarão a moldar outros líderes e as pessoas envolvidas com o culto público ou ministérios.


Sem comentários:

Enviar um comentário