3 de abril de 2010

Motivação Empresarial e Profissional - Nº3 (Abril 2010)

O FRACASSO NÃO É O FIM


O sucesso não está baseado em “evitarmos” o fracasso, mas em “enfrentá-lo” correctamente. O William A. Ward disse: “O fracasso deve ser o nosso professor, não o nosso empresário. O fracasso é atraso, não derrota. É um desvio temporário, não uma estrada sem saída”.


Os líderes de sucesso não evitam o fracasso. “Lidam” com ele -- com sucesso. Durante anos, houve cinco ditados que me ajudaram a manter a atitude certa quanto ao fracasso, e creio que também o podem ajudar.


Foque-se no sucesso, não no fracasso


O livro de Provérbios, no Velho Testamento, diz-nos que a nossa maneira de pensar determina aquilo que somos: “pois como imaginou na sua alma, assim é...” (Provérbios 23:7). Assim, quando nos focamos no fracasso, na realidade arriscamos FAZER com que nós próprios fracassemos.


Há alguns anos, Os Voadores Wallendas, uma família de funâmbulos, conquistaram muita atenção por causa das suas proezas de desafio à morte. Mas em 1978 a tragédia aconteceu, quando com 73 anos, Karl Wallenda, o patriarca da família, caiu e morreu quando tentava andar sobre uma corda bamba entre dois edifícios em San Juan, Porto Rico.


O que muitas pessoas não sabem é que este homem de uma perícia incrível, que no passado tinha realizado com sucesso milhares de caminhadas na corda, passou os três meses antecedentes a essa tentativa a “pensar em cair”.


Um repórter de um jornal, escrevendo na altura da sua morte, comentava, “Quando o Karl Wallenda concentrou as suas energias em não cair, em vez de se concentrar no andar na corda bamba, ficou destinado a cair.”


Se gastar muito tempo a preocupar-se com o fracasso, você também, aumenta as suas chances de cair.


Trate os fracassos como amigos, não como inimigos


Muitas pessoas têm um medo mortal do fracasso. Vêem-no como o seu pior inimigo. Mas as pessoas com sucesso reconhecem que os fracassos - devidamente tratados - podem levar ao grande sucesso.


Elbert Hubbard disse: “Esforço constante e erros frequentes são os trampolins do génio”. Fracassos podem ser grandes experiências de aprendizagem. Como um líder, creio que tive mais fracassos do que a maioria das pessoas. Mas também tive muitos sucessos. Porquê? Porque para mim, “tentar” é mais importante do que “não falhar”. E quando cometo erros, uso-os como experiências de aprendizagem, perguntando: “O que fiz de errado, e como posso fazer melhor da próxima vez”?


Não tente esconder os seus erros. Admita-os, e depois aprenda e cresça com eles. Uma vez que terá fracassos, porque não tratá-los como os amigos que eles podem ser?


Olhe para o fracasso como momentâneo, não como monumento


O fracasso por vezes afecta as pessoas de uma forma tão negativa que os paraliza permanentemente. Em vez de tratarem o fracasso como a ocorrência momentânea que é, fazem dele um monumento permanente que impede o seu avanço.


O medo de fracassar no futuro, faz com que fracasse no presente. Não deixe que erros momentâneos o impossibilitem de um crescimento a longo termo.


Tenha fracassos bem sucedidos, não sucessos fracassados


Abraham Lincoln disse: “Sucesso é ir de fracasso em fracasso sem perder o entusiasmo.” E ele era um homem que conhecia a derrota. Nasceu na pobreza. A única instrução que teve, adquiriu-a sozinho. Fracassou nos negócios, e muitas vezes foi derrotado em funções públicas.


Com cada revés, Lincoln continuou a perseverar e a aprender com os seus erros. Em vez de ser um fracasso no sucesso, ele experimentou fracassos bem sucedidos. As experiências negativas não o impediram; ensinaram-lhe.


Olhe para os fracassos como novas oportunidades, não derrotas finais


O Apóstolo Paulo é um exemplo maravilhoso de alguém que enfrentou o fracasso positivamente. Em vez de olhar para a adversidade como derrota, ele acolhia-a como uma nova oportunidade.


Quando teve o naufrágio em Malta, ministrou às pessoas. Quando foi preso, viu isso como uma chance de pregar o evangelho. Tal como disse: “E quero, irmãos, que saibais que as coisas que me aconteceram contribuíram para maior avanço do evangelho” (Filipenses 1:12).


Quando as nossas atitudes são correctas, o fracasso na realidade ajuda-nos e melhora-nos. Dá-nos uma chance de vermos onde somos insuficientes, uma chance de mudarmos e de aprendermos mais sobre nós próprios e de como podemos crescer até ao nosso máximo potencial.


A verdadeira questão é que “não tentar” é o maior fracasso que alguém pode experimentar. Se não fizermos a tentativa, não podemos ter sucesso.


Devemos fazer a tentativa e tornarmo-nos o melhor que podemos naquilo que Deus nos está a chamar para fazer. E só faremos isso se colocarmos o fracasso na perspectiva correcta. O fracasso não tem de ser o final.


4 comentários:

  1. De facto Deus nos capacita a levantar a cabeça de novo e a seguir em frente.
    Orlando Manso

    ResponderEliminar
  2. É verdade ,com Deus há sempre um caminho, mesmo quando por vezes nos desviamos para a o lado, Deus vai ao nosso encontro e nos ajuda a voltar ao caminho certo....devemos aprender com os erros, e nao ficar derrotados.
    Isabel Raínho

    ResponderEliminar
  3. Sucesso é uma semente tem que ser semeada,cuidada e esperar o tempo certo , o do fruto...e voltar a semear...é um ciclo tal como um relogio "suisso" não atrasa nem adianta...e se falhare o relogio procura quem sabe acertar a hora...recomeçar não é um erro mas um principio de quem sabe que vai vençer!...procura olhar para quem errou muitas vezes mas não desistiuo,homens de sucesso hoje erraram muito no passado,estamos aqui...para promover o teu sucesso.
    Megafinance Consultores

    ResponderEliminar